Tópicos do encontro de janeiro

1. Levantamento e aplicação de procedimentos de trabalho.

2. Quais os princípios de trabalho nessa pesquisa? Eles se modificam? Eles se mantêm?

3. Reconhecemos que alguns princípios regem nossa pesquisa, por exemplo: não ter tema; instaurar e sustentar um fluxo de criação contínuo movido pela escuta, liberdade e tempo dilatado; permanente relação com o instante; contato contínuo com o público.

4. Quais são as questões relativas ao performer na prática do Aisthesis?

5. Quais são as questões relativas ao público na prática do Aisthesis?

6. Como é o estado e a atitude do performer nessa pesquisa?

7. Como criar um campo sugestivo para o espectador ser inserido na prática?

8. Quais as relações da nossa prática com a bibliografia de referência do projeto, a saber os livros: Aisthesis, Produção de Presença e Tratado da Eficácia.

9. É possível um desdobramento composicional/cênico a partir de nossa prática?

10. Quais os possíveis desdobramentos conceituais, pedagógicos e artísticos do Aisthesis?

 

[Kênia Dias + Édi Oliveira, em relatório]

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s